Como trazer Investimentos para a sua empresa!



Meu amigo, se você já tem uma ideia boa mas não sabe como arranjar dinheiro para financiá-la, provavelmente já se deparou com a realidade de que todos os negócios precisam de recursos.

Afinal, estamos falando de registro de marca, legalização, expansão, marketing, e várias outras tarefas que envolvem a abertura e crescimento da sua empresa.


Mas calma, se você está na dúvida e perdido sem saber exatamente como arranjar dinheiro para finalmente alavancar o seu negócio, nós da Opção Consultoria vamos acender uma luz.


Esse artigo foi escrito pensando em uma lista de várias opções que você tem para realmente captar recursos, algumas delas podem ser feitas para negócios pequenos, outras só para empresas estruturadas.


Então, vamos lá?


1- Capital Próprio


Essa com toda certeza é a opção mais simples de financiar o seu empreendimento e provavelmente você já sabe disse e está em busca de outras opções justamente pela falta de capital não é verdade?


Veja bem, a primeira pergunta que necessita ser feita é: “Será que eu preciso tanto assim de investimento externo?”


O ponto que eu quero que você leve em consideração é que outras formas de financiamento embora sejam boas também, apresentam contrapartidas.


Por exemplo, se você está em busca de um sócio, saiba que uma parte do capital social da empresa será usado como moeda de troca pelo investimento, será que você está preparado para isso?


Será que está preparado para pegar empréstimos e arcar com juros?


Se o empreendedor ou sua empresa ainda não estão preparados para este tipo de captação de investimentos, talvez seja interessante buscar aumentar o seu caixa e fazer os investimentos por si mesmo, ganhando mais robustez no empreendimento para que assim ele consiga crescer mais rápido com outras opções.


Uma boa forma também para quem é micro e pequeno empresário não é só o capital próprio, mas também de parentes e amigos, se você é uma pessoa confiável e a ideia for boa, não hesitarão em ajudar você em sua nova jornada.


Essa é uma boa opção já que as pessoas mais próximas a você raramente vão exigir algum tipo de juros como os bancos exigem, e também se apresentam mais flexíveis (na maioria) quanto ao prazo de pagamento por causa da consideração pessoal.


2 - Linhas de crédito


Uma linha de crédito é um montante total de recursos que uma instituição financeira se declara disposta a oferecer a você por meios de empréstimos ou financiamentos.


Essas linhas de crédito costumam ser direcionadas a clientes que possuem objetivos semelhantes.


Um exemplo disso é o fato de que cada banco possui seus linhas de crédito destinados a públicos específicos, por exemplo micro e pequenas empresas, setor agrícola, compra de automóvel, compra de imóvel, capital de giro, etc.


E os valores variam de instituição para outra.


Hoje em dia, muitos clientes em sua relação com banco já possuem algumas linhas de crédito pré-aprovadas que costumam estar ligadas à sua conta corrente na instituição.


Mas é importante meu amigo, sempre se atentar às especificações de cada linha de crédito e contratar com muita responsabilidade, lembre-se do JUROS!


3 - Crowdfunding


E se eu dissesse que a famosa “vaquinha” pode ser utilizada para fazer a sua empresa finalmente decolar?


O crowdfunding é caracterizado por ser um financiamento coletivo e está ganhando muito espaço nos últimos anos, não só pelo fato de que esse tipo de captação está sendo usado para fins sociais, mas também está ajudando cada vez mais empreendedores a tirar a ideia do papel.


Existem muitas plataformas de financiamento coletivo aqui no Brasil, em que é só fazer o cadastro após satisfeitas as exigências e estipular o valor para arrecadação.


Mas calma, o trabalho precisa ser bem feito certo? Você ainda precisa convencer as pessoas a investir na sua ideia.


Então, para ter sucesso nesse formato, recomendo que você faça um ótimo marketing da sua empresa, faça um bom vídeo, descreva muito bem na plataforma, esteja presente nas redes sociais também, tudo isso dá mais visibilidade e confiança para que as pessoas invistam.


4 - Investidor anjo


Meu amigo, se você acha que só por que o nome é Investidor Anjo estamos tratando de algum tipo de organização filantrópica, sinto informar que você está angelicalmente enganado.


O Investidor Anjo é uma pessoa física com capital próprio que faz investimentos geralmente em startups, ou seja, empresas novas com um grande potencial de crescimento.


A parte mais peculiar do investimento anjo é que ele é feito por profissionais que além de entrarem com o capital, também agregam valor com conhecimentos técnicos, estratégicos, networking e mais, por isso é apelidado de “smart money”.


Os investidores anjo geralmente vão ocupar uma posição minoritária na empresa e não vão ocupar nenhum cargo executivo, sendo mais comum atuarem como conselheiros do empreendedor.


Segundo a Lei Complementar 155/2016, esse tipo de investidor não é bem considerado um sócio mas obtém o retorno financeiro de até 50% dos lucros da sociedade, por um período de cinco anos, além de investirem em valores de R$ 50 mil a R$ 1,5 milhões nessas empresas.

Então pronto, vou correr atrás do meu anjo certo?!


Calma meu amigo, não quero que você pense que é tão fácil assim conseguir um desses investidores, apenas ter uma ideia não é o suficiente ok?


Para conseguir conquistá-los você precisa ter um plano de negócios, uma boa apresentação bem convincente, planejamento financeiro claro, um estudo de mercado e se possível um MVP (mínimo produto viável) para servir de protótipo do seu produto.


Se quiser saber mais sobre Investidores Anjo, como consegui-los e onde encontrar preparamos um outro post completo só para você bem aqui!


5 - Sócios


Uma forma de conseguir investimentos para a empresa é justamente ter uma sócio que possa investir esse capital.


Mas preste só atenção meu amigo, não vá achando que qualquer um pode ser o sócio da sua empresa, ou só por que é amigo ou parente, você precisa fazer o que é melhor para o seu negócio certo?


Principalmente esse sócio precisa ter lealdade absoluta e compromisso com a empresa, evitando qualquer ação que possa prejudicar ela. É necessário transparência e colaboração entre os membros da sociedade.


Lembra quando eu perguntei se você ou o seu negócio estão preparados para ter um sócio?

Sociedade exige mais do que tudo confiança, e também é necessário saber quais são os prós e contras.


Se o sócio entrar com apenas capital, mesmo assim ele terá o direito de opinar sobre ações e tomadas de decisões da empresa em assembleia.


Uma vez que você tenha encontrado o sócio certo para você, não faça um contrato de guardanapo ou de aperto de mãos.


Contrate um profissional especializado no devido contrato social e que defina todos os pontos pertinentes à sociedade, assim como condições de expulsão e transparência financeira.


Não se engane meu amigo, um sócio pode ser MUITO BENÉFICO para você, mas é necessário escolher bem, o que tem no mercado de pessoas que tiveram problemas graves com sócios, muitos deles financeiros, não está no gibi.


Este artigo do SEBRAE explica muito bem as obrigações do sócio para a empresa.


6 - Venture Capital


Se você é um pequeno empreendedor, ou dono de um pequeno negócio ainda crescendo. Infelizmente ainda não consegue acessar os fundos de Venture Capital.


Mas por quê?


Meu amigo, esses fundos de investimento são mais focados em capital de crescimento para empresas que se configuram como de médio porte, mas que já possuem uma boa receita, fluxo de caixa considerável e lucro, só que ainda precisam escalar o negócio.


Ou seja, o negócio já está muito bem estruturado.


Essa é uma modalidade de captação de investimentos superiores à R$2 milhões, geralmente focados em empresas de alto crescimento e é caracterizado por possuir um alto risco também.


Além disso a injeção de capital também vem acompanhada de uma divisão da participação societária da empresa acordada por ambas as partes.

© 2019 Opção Consultoria - CNPJ: 02.744.184/0001-20