Compliance: como gerar credibilidade para sua empresa!

Olá a todos!


Hoje você irá conhecer mais sobre um tema que a cada dia ganha mais relevância para as empresas, o compliance.


Esse conceito ganha mais notoriedade a cada dia, principalmente nas grandes empresas e entre os empreendedores mais visionários, mas o que ele realmente significa? Como ele pode ajudar as empresas? De que forma ele é aplicado?


São perguntas que pretendo responder nesse texto.


A importância do compliance e o caso de Warren Buffett


Em algum momento da sua vida alguém mais experiente certamente lhe disse que a credibilidade é um dos atributos pelos quais mais devemos zelar, ou algo similar.


Pois bem, este é um grande conselho!


A credibilidade e a seriedade abrem portas para oportunidades, sendo um grande ponto positivo para a imagem das empresas.


Warren Buffett, um dos maiores investidores da história, presidente da holding Berkshire Hathaway, contou certa vez como a sua reputação correta foi fundamental para salvar o Salomon Brothers, um banco de investimentos adquirido por sua empresa, que esteve em apuros quando um funcionário foi flagrado em um escândalo de fraudes.


No caso, o compliance poderia ter ajudado a empresa, ao estabelecer boas práticas e o cumprimento de normas na cultura da empresa.


Não só isso, a alta credibilidade de Buffet, foi construída sobre os princípios de um empresário que cumpre as regras e age com ética, a filosofia que o compliance busca trazer ao empreendimento.


Como ele costuma dizer, “são 20 anos para construir uma reputação, mas 5 minutos para destruí-la."


Por isso, é fundamental para uma empresa buscar o respeito a ética e as leis em cada atividade desempenhada por cada funcionário.

O pior pesadelo de um empreendedor seria ver todos os seus sonhos e investimentos destruídos por conta do descumprimento de normas ou por práticas ilegais de funcionários que agem de má fé e não foram identificados.


Como funciona o Compliance?


Sendo assim, o compliance é o estabelecimento de um conjunto de diretrizes que buscam alinhar a empresa e cada funcionário à observância das normas e regulações legais e éticas do país no qual o negócio está situado.


Empresas grandes estabelecem comissões com advogados e gestores para criar códigos de conduta, pregar as boas práticas e fiscalizar o cumprimento objetivos, enquanto outras empresas se esforçam da forma mais conveniente para cumprir com as leis.


Afinal, nem toda empresa necessita de tamanho investimento nisso, bastando o constante estudo das normas que regulam as atividades da empresa, e um certo apelo em mostrar essa seriedade e compromisso ao público.


A partir disso, tem-se muitas variações e especialidades de compliance, que são adotadas de acordo com o grau de complexidade da empresa, ou com seus objetivos.


O conceito do qual estamos falando representa a prevenção da empresa contra possíveis ilegalidades com postura, o que pode representar uma grande economia no longo prazo.


Afinal, dependendo de como o compliance é estruturado, futuramente a empresa tende a sofrer menos com possíveis ações trabalhistas, tributárias e de consumidores.


É aí que está a grande diferenciação na estratégia adotada por cada organização.


Os tipos de compliance


Este conceito pode ser adotado em muitos aspectos de uma empresa, mas alguns dos principais ou que estão sendo cada vez mais utilizados são:


Tributário


Referente a regularização da empresa quanto aos impostos e tributos aplicáveis.


Fiscal


Busca evitar que hajam erros e improvisos nos registros das empresas, sendo estes primordiais para a organização, base da dedução de impostos, de relatórios e balanços financeiros, questões de governança, dentre tantas outras importâncias.


Trabalhista


Visa a adoção do código de conduta por todo o corpo de Funcionários, de forma que ele também saiba todos os seus direitos e deveres.


Controle de qualidade


De certa forma, buscar a maior qualidade e segurança nos serviços ou produtos dá a empresa maior credibilidade, além de evitar problemas com consumidores insatisfeitos.


Sem dúvida é um tipo de compliance que muitas empresas aplicam sem mesmo saber o que é este conceito.


Ambiental


Com o crescimento da conscientização sobre o meio ambiente, não só a legislação de muitos lugares, como também considerável parcela de clientes cada vez mais exige empresas que busquem reduzir os impactos sobre a natureza e seus recursos.


Portanto, buscar a sustentabilidade sempre que possível é bom para a natureza, mas é em dobro para o empreendedor, que contará com uma parcela de clientes disposta a pagar mais caro para consumir produtos ecológicos, o que representa uma vantagem competitiva, além de estar sempre a frente de qualquer lei que poderia colocar algum concorrente em apuros.


Conclusão


O compliance ainda é visto por muitos como um gasto desnecessário, que não gera benefícios à empresa, o que é uma ideia equivocada conforme foi visto ao longo desse texto.


Este conceito gera uma enorme segurança, abre portas, e com certeza pode agregar valor percebido a empresa, como muitos podem ter imaginado em situações ao longo do texto.


Principalmente em um país como o Brasil, com muitas legislações complexas.


Mas independentemente disso, todos devem buscar entender como fazer o melhor para suas empresas, e nisso, espero ter ajudado vocês!


Se quiserem acessar mais conteúdo como esse para conhecer boas práticas e conceitos das empresas, visite nosso blog! Se deseja levar a sua empresa a um outro nível de desempenho e gestão, contate-nos em nosso site!

© 2019 Opção Consultoria - CNPJ: 02.744.184/0001-20