Integração vertical e horizontal: O que é e como aplicar?

Olá a todos!


O crescimento da empresa é algo almejado por todo empreendedor.


Mas ao mesmo tempo, há um grande receio de não dar conta desse crescimento, gerando um empreendimento desorganizada e insustentável.


Tal cenário é uma realidade bem plausível, por isso, empresas de todos os tamanhos desenvolvem um planejamento estratégico, o qual tem as diretrizes que guiarão o crescimento da empresa.


Dentro da gestão estratégica e planejamento empresarial, um conceito central em termos de crescimento é o de integração vertical e horizontal.


Por isso, nesse texto, iremos te explicar o que são essas estratégias, seus benefícios e como o conceito se aplica em empresas de todos os tamanhos.

Integração vertical

Esse modelo diz respeito a quando uma empresa decide obter maior controle sobre a cadeia de produção na qual seu negócio está inserido, e então busca se expandir dentro de um mesmo setor ou produto.


Com isso, a empresa obtém muitas vantagens em relação a concorrência. Dentre elas:


· Reduzir custos com matéria-prima ou intermediários dependendo do tipo de integração vertical, levando um produto mais barato ao mercado, portanto, mais competitivo em cenários de muita concorrência, e maximizando lucros em mercados monopolistas ou oligopolistas.


· Controlar a qualidade de mais processos da produção, aumentando as possibilidades de agregar valor e criar um produto cada vez mais otimizado.


· Atuar em muitas esferas do mercado e desenvolvendo relações com diferentes tipos de cliente. Uma empresa que trabalha com em uma relação b2b (business to business, ou, de negócio para negócio) poderá se aproximar do seu consumidor final (b2c), e vice-versa.


· Diminuir o poder de barganha da concorrência perante fornecedores ou varejistas, que terão que pagar mais caro ou buscar outras soluções, devido ao fato de que o fornecimento para concorrentes necessita de mais compensações do que o normal para se tornar oportuno.


A integração vertical praticada à jusante e à montante. Mas o que isso significa?


Essas são as denominações que diferenciam respectivamente, quando uma empresa passa a incorporar também a venda de distribuição de seus produtos, as fases seguintes da cadeia, e quando o empreendimento passa a controlar processos anteriores, como a produção de matéria-prima ou componentes.


Um exemplo bem-sucedido dessa estratégia em prática, dentre tantos outros, é a Netflix, serviço de streaming de filmes e séries, que começou a ter suas próprias produções audiovisuais, agregando valor ao seu produto.


Mas a essa altura do texto você deve estar se perguntando como esse conceito pode ser aplicado em sua empresa, visto que comprar outros negócios não é possível para a grande maioria dos empreendimentos.


Bom, perceba primeiramente, que o princípio da integração vertical se dá em aproximar soluções de seus clientes, eliminando o que não gera valor.


Portanto, o empreendedor conseguir eliminar intermediários e processos não importantes, firmar bons acordos e desenvolver boas e personalizadas relações com os fornecedores, dará consideráveis passos rumo as vantagens propostas pela integração vertical.

Integração horizontal

Outro meio pelo qual a empresa pode crescer e expandir seus negócios é a integração horizontal, na qual ocorre a entrada em novos mercados, públicos ou praças e a diversificação em diferentes setores ou produtos que possuem a mesma hierarquia dentro de suas cadeias produtivas.


Dessa forma, o empreendimento se beneficia por:


· Diversificar os investimentos, dessa forma, reduzindo perdas com crises locais, de produtos, tendências, nichos ou do setor. Lembrando que este é um princípio fulcral na redução de riscos de um investimento.


· Explorar oportunidades possíveis em outros mercados ou fatias do mesmo, trazendo conceitos aplicados em outros produtos e levando inovação, que pode se transformar em vantagens competitivas.


· Utilização da inteligência, diferenciais e capacidades da marca adquirida em prol da empresa como um todo.


· Possibilidade de adquirir maiores parcelas do mercado e reduzir a concorrência no setor.

Algumas formas de integração horizontal são bem conhecidas, como o estabelecimento de franquias em diferentes localidades ou filiais e estabelecimento da empresa em outros países.


Um grande exemplo da integração foi a Walt Disney Company, que incorporou a Pixar Studios (concorrente), e a partir de então vem expandindo para outros nichos do setor de entretenimento, adquirindo a 20th Century Studios e a Marvel, além de emissoras esportivas, como a ESPN e recentemente a Fox Sports.


E como a magia da integração horizontal se encaixa no cenário encontrado pela maioria dos empreendedores?


A essência dessa estratégia está na capacidade de diluir os investimentos e recursos em diferentes empreitadas.


É o bom e velho conselho de não colocar todos os ovos na mesma cesta.


Assim, um empreendedor com menor poder aquisitivo pode tentar trazer diferentes produtos e novidades para o seu negócio a fim de atingir esse propósito.


Uma padaria que só vende pão por exemplo, identificando uma oportunidade, pode oferecer também doces e bebidas.


Perceberam como essas estratégias podem ser aplicadas nos mais variados negócios?


O importante é identificar o que funcionaria da melhor forma para a empresa e não desvirtuar do seu plano de expansão.


Foi um prazer compartilhar isso com vocês!


Se quiser mais dicas para a gestão dos mais variados aspectos de uma empresa, acesse nosso blog! Caso esteja interessado em levar mudança e crescimento ao seu negócio, contate-nos em nosso site!

© 2019 Opção Consultoria - CNPJ: 02.744.184/0001-20