OS 8 PASSOS DO MARKETING DE CONTEÚDO





Se você está empreendendo, mas as pessoas não tem muito contato com a sua empresa, não possuem conhecimento sobre o que você vende ou se quer sabem da existência do seu empreendimento, você pode estar perdendo uma excelente oportunidade não utilizando o marketing de conteúdo.


Mas afinal o que é isso?


Bom, marketing de conteúdo é uma maneira de engajar com seu público-alvo e crescer sua rede de clientes e potenciais clientes por meio da criação de conteúdo relevante e valioso, atraindo, envolvendo e gerando valor para as pessoas de modo a criar uma percepção positiva da sua marca e assim gerar mais negócios.


Atualmente, bons pontos de contato da sua empresa com o público aproveitáveis para a utilização do marketing de conteúdo são pontos digitais, tais como Instagram, Facebook, Blog, Site, YouTube entre outros. A produção de conteúdo vai permitir uma aproximação da empresa com o cliente e assim facilitar as vendas.


Neste artigo iremos mostrar os 8 passos para fazer um marketing de conteúdo de primeira qualidade. É claro que este estilo de marketing precisa ser produzido e distribuído, mas é um erro pular direto para essas etapas sem planejar antes as atividades pré-produção e pós-distribuição.


Nas próximas 8 seções, todo passo precisa ser realizado com qualidade para que se passe para o próximo.


1 – FIXAÇÃO DE METAS


A fixação de metas prévias irá ajudar para que a campanha de marketing de conteúdo esteja completamente alinhada com os objetivos do empreendimento.


As metas podem ser separadas em duas principais:


Metas de Vendas: Podem representar geração de leads(pessoas interessadas em algum produto ou serviço da empresa), vendas efetivas, cross-selling(o cliente é estimulado a levar um produto que complementa a sua compra inicial), up-selling(o cliente é estimulado a levar um produto mais caro do que queria comprar previamente) e vendas por indicações de outros clientes.


B2C - fidelidade, engajamento e consciência de marca como objetivos chave.


B2B - concentram mais na geração de leads e vendas como objetivo chave.


Metas relacionadas à marca: Consciência, associação e fidelidade da marca.


Então, nesta seção, fixe o que você quer conseguir com o marketing de conteúdo, crescimento de vendas ou desenvolvimento de marca.


2- MAPEAMENTO DO PÚBLICO


Depois de fixar as metas e objetivos, deve-se determinar quais públicos atingir. Nessa hora não é bom utilizar termos gerais, mas sim tentar segmentar em subconjuntos específicos para que o conteúdo seja condizente, relevante e profundo para o público.


Seguindo a tradição, os principais parâmetros podem ser geográficos, psicográficos, demográficos e comportamentais. Depois de delimitar os perfis desse público, é necessário descrever as personas, o que ajudará a imaginar como o cliente é na vida real. Dessa forma buscam-se, os desejos da clientela, necessidades, problemas e aspirações que guiarão a produção do conteúdo que interessa a ela e que mais a ajude.


3- CONCEPÇÃO E PLANEJAMENTO DO CONTEÚDO


Agora é necessário selecionar ideias sobre qual conteúdo criar e então realizar o planejamento apropriado. Começa a busca por temas pertinentes e formatos adequados ao público.


Para ser efetivo, o conteúdo precisa ser relevante para o consumidor e apresentar histórias que refletem a personalidade da marca.


4 – CRIAÇÃO DO CONTEÚDO


Se o conteúdo não apresentar riqueza de informações úteis, a campanha é meramente uma perda de tempo. Por isso é necessário um alto investimento (principalmente de tempo) para a criação do conteúdo.


Existem marcas que optam por produzir o próprio conteúdo, mas as mesmas também podem terceirizar a produção para pessoas mais aptas como roteiristas, jornalistas, etc. Além de tudo isso, pode-se patrocinara produção por terceiros.


5- DISTRIBUIÇÃO DE CONTEÚDO


Ter uma alta qualidade não vale de nada se este não atingir o cliente não é verdade?


Neste mar de informações, as empresa precisam ser certificar por meios dos canais de distribuição corretos que o conteúdo chegará ao consumidor.


Os canais podem ser digitais ou não. Existem empresas que distribuem seu conteúdo através de revistas semanais ou até mesmo eventos presenciais, fugindo da crença de que o conteúdo só é distribuído pela internet.


Há 3 categorias de canais de mídia: Própria, paga e conquistada.


Nos canais próprios, o canal está sob total controle da empresa, podendo distribuir conteúdo quando quiserem, tais como publicações corporativas, eventos, sites, blog, comunidades online geridas pela empresa, newsletter por e-mail e muitas outras formas.


A forma paga são canais que a marca contrata para distribuir conteúdo. Inclui mídias publicitárias tradicionais e eletrônicas, mídia impressa, mídia OOH e mídia digital. No espaço digital, os canais de mídia paga mais comuns incluem banners, redes afiliadas de sites de conteúdo, links patrocinados em mecanismos de busca, posts patrocinados,etc. Sendo esta usada para adquirir novos consumidores e direcionar esse tráfego para canais e mídia próprios.


A mídia conquistada inclui a cobertura e exposição da marca obtidas pela propaganda boca a boca ou defesa da marca. Com a qualidade alta, o público pode chegar até a apresentar uma alta taxa de compartilhamento nas mídias sociais. Geralmente a mídia conquistada atua com o auxílio dos outros dois tipos.


6- AMPLIAÇÃO DO CONTEÚDO


Na mídia conquistada, uma grande estratégia que pode ser utilizada é a ampliação do conteúdo.


Nem todos os públicos são iguais, porém existem influenciadores chaves nas comunidades que podem facilitar o trabalho de compartilhamento do conteúdo. O importante é identifica-los e entrar em contato.


Através de um relacionamento de ganho mútuo entre os dois, a empresa pode aproveitar todo o prestígio do influenciador e audiência, utilizando a figura de autoridade dele para poder alcançar públicos variados.


7- AVALIAÇÃO DO MARKETING DE CONTEÚDO


Agora é necessária uma avaliação da campanha de marketing de conteúdo que é muito importante para a fase de pós-distribuição.


Nesta parte é importante o acompanhamento de métricas chaves para o negócio, por exemplo buscar saber se a campanha fez o número de vendas esperada.


Como uma métrica de visibilidade pode-se ver o número de impressões, ou seja quantas vezes a informação foi mostrada ao público. Para saber se o conteúdo atraiu interesse, pode-se buscar visualizações da página por visitante, taxa de rejeição, tempo gasto no site, entre outros.


Para saber se o conteúdo pode ser bem pesquisado, métricas relacionadas a busca podem ser encontras tais como posicionamento e ranqueamento nas páginas de busca, quanto do resultado proveniente dos próprios mecanismo de busca e palavras chave, etc.


Para saber se o conteúdo é útil, precisamos ver se ele induz o cliente à uma ação, para isso podem ser usadas taxas de clientes e outras taxas de conversão.


Por fim, para saber se o conteúdo é compartilhado, pode-se olhar a taxa de compartilhamento e engajamento.


8- MELHORIA DO MARKETING DE CONTEÚDO


Nesta parte , por fim, toda a estratégia de marketing pode ser vista e revista, ficando a cargo do responsável pelo mesmo testar novos formatos e histórias, novas estratégias e conteúdos em busca de uma qualidade e resultados maiores para a empresa.


Isso tudo pode ser feito periodicamente ou quando necessário, mas levando em conta que uma campanha de marketing de conteúdo tem efeito no médio e longo prazo.


CONCLUSÃO


A grande vantagem do marketing de conteúdo em relação ao tradicional é ser altamente controlável, com a possibilidade de rastrear o desempenho por tema, formato e canal de distribuição.


Depois de tudo o que foi dito, você já sabe passo por passo as fases da construção de uma campanha bem sucedida nesse estilo de marketing. Fique sempre ligado(a) para as dicas que damos AQUI

no nosso blog.

© 2019 Opção Consultoria - CNPJ: 02.744.184/0001-20